fbpx O patrocínio e o investimento social privado como estratégias de marketing | Guia do Patrocínio
investimento social privado como estratégias de marketing

Já dizia o ditado: “quem não é visto, não é lembrado.” Mas, atualmente, diante do boom tecnológico e das inúmeras possibilidades de comunicação e marketing, como ser visto? Qual é a melhor forma para se destacar em um oceano de marcas? Duas excelentes maneiras de aumentar o reconhecimento de marca da sua empresa, além de apresentar novos produtos ou gerar mais engajamento do público além das redes sociais, é por meio de estratégias bastante similares: patrocínio ou investimento social privado.


Os repasses de recursos privados para patrocinar artistas, eventos ou causas e os investimentos das organizações na atuação em projetos sociais, ambientais, culturais e científicos de interesse público evoluíram muito nos últimos anos, como avalia Michel Rodrigues, empresário de marketing há quase duas décadas e sócio-fundador da agência Savannah. “Antes disso, pelo menos aqui no Brasil, havia quase que apenas o conceito de ajudar e fazer beneficência quando era feita a aplicação de recursos privados em projetos sociais, esportivos (amadores) e culturais. Não se encarava isso como investimento”, finaliza.


Um fator determinante para essa evolução foi o surgimento das leis de incentivo, que, segundo Rodrigues, deram um “empurrãozinho” para encorajar muitos interessados em realizar patrocínios e investimento social privado. “Vários daqueles que iniciaram esse investimento apenas pelo incentivo governamental continuaram e passaram a fazer isso de maneira mais séria e profissional, pois notaram que as contrapartidas vão além do simples abatimento fiscal”, comenta o empresário.


Ambiente favorável

A percepção do consumidor brasileiro mudou e isso reflete automaticamente na forma como ele toma suas decisões de compra. Para Michel Rodrigues, isso se dá por conta do “fenômeno do crescimento da classe média brasileira, aliado ao aumento expressivo que tivemos no grau de escolarização da população, em especial no número de brasileiros com nível educacional superior. Essa realidade não apenas fez aumentar drasticamente o consumo no Brasil, mas trouxe, principalmente para o nosso mercado, um consumidor mais crítico, exigente e consciente dos valores que ‘embalam’ os produtos e serviços que consome”, reitera.


Essas mudanças são permanentes e para o empresário sinalizam que o ambiente propício no Brasil está instalado. “O crescimento do mercado e das oportunidades pode acelerar e desacelerar, mas é, sem dúvida, sempre crescente. Em especial nos tempos de crise, quando a maioria se encolhe e os ousados seguem em frente e até aumentam sua atuação, pois sabem que quando a crise passa, quem parou morreu ou ficou para trás”, observa.


Plantando para colher no futuro

Ao contribuir patrocinando esportes, artistas, eventos ou investindo em causas que façam sentido entre os consumidores da sua empresa de forma estratégica, buscando sempre divulgar o patrocínio ou investimento social com foco maior na ação e não no investidor, a sociedade reconhece o trabalho da organização e a boa reputação vem como consequência. “O investimento sério, contínuo e sincero é capaz de tirar o ar de frieza que envolve as corporações e trazer mais ‘calor humano’ nas relações com seus clientes”, destaca Michel. Algumas empresas, como é o caso da Vivo, Caixa Econômica e Adidas, são amplamente reconhecidas pela realização de patrocínio, já a Natura, por exemplo, é lembrada por suas ações de investimento social.


Rodrigues lembra também que o patrocínio e o investimento social privado são um caminho interessante para a tão almejada humanização da marca, perseguida e prometida por diretores de marketing e gestores mundo afora. “Isso porque todos eles sabem que uma empresa só se torna grande e verdadeiramente reconhecida no mercado quando o valor intangível da sua marca passa a ser maior do que seu patrimônio físico tangível”, pondera.


E na prática? Como fazer?

Planejamento antes de começar a investir e uma boa análise de cenários são medidas essenciais. Michel Rodrigues comenta que, antes de investir, é necessário ter uma meta com aquela ação e lembra que empresas vendem produtos e serviços, mas os consumidores compram sentimentos. “Então, é importante se questionar: quais ‘sentimentos’ são importantes para o meu público? O que a empresa precisa que seja associado com a sua marca? Além de estar ciente de que o ideal é que tanto o patrocínio quanto o investimento social façam parte de um mix de ações, que darão sustentação, visibilidade espontânea e mais vigor aos resultados”, encerra.


Valores e transparência como base

É importante divulgar as ações que estão sendo realizadas com total transparência, além disso, tenha em mente que as iniciativas da sua empresa precisam estar de acordo com os princípios e valores da organização para que não haja nenhum ruído na comunicação. “Dessa forma, obtém-se mais contundência e solidificação para trazer veracidade àquilo que a empresa diz se engajar”, avalia Rodrigues.


Para quem quer começar ou está começando, é normal surgirem dúvidas que precisam ser esclarecidas para que o futuro patrocínio ou investimento social seja realizado com total segurança. “Ter a assessoria de profissionais experientes é imprescindível para o sucesso do investimento”, recomenda o empresário.

Escreva um comentário