fbpx Sua empresa ainda não faz investimento social? Saiba a diferença entre patrocínio, incentivo, doação e voluntariado | Guia do Patrocínio
 Sua empresa ainda não faz investimento social? Saiba a diferença entre patrocínio, incentivo, doação e voluntariado

Muitas empresas travam quando o assunto é investimento social. O tema é bastante complexo e merece uma atenção especial, visto que cada vez mais as organizações têm sentido a necessidade de contribuir com a sociedade e de se fazer presentes nas comunidades em que atuam para agregar valor às suas marcas. Essas contribuições podem ser feitas de diversas formas, sendo as principais delas o patrocínio, patrocínio incentivado, doação e voluntariado.


Para entender melhor cada um dos termos e suas peculiaridades, conversamos com a especialista em investimento social privado e CEO da Sauí Gestão de Patrocínios, Simone Nunes, que apresenta um panorama geral e explica as possibilidades de cada uma das formas de apoio.


Patrocínio direto e patrocínio incentivado

Os termos possuem características bastante similares, por isso, é importante estar atento no momento de escolher qual é a melhor opção para o enquadramento do seu negócio. “O patrocínio direto se configura no repasse de recursos financeiros da empresa diretamente para projetos de interesse, sem abatimento de impostos”, explica a especialista. Nesta modalidade, as instituições têm mais liberdade para escolher o que patrocinar enquanto no patrocínio incentivado o cenário muda. “A empresa faz o repasse especificamente para projetos pré-aprovados pelo governo e, sendo assim, pode abater parte ou todo o valor patrocinado dos impostos que já teria que pagar de qualquer maneira. Ou seja, na opção de patrocínio incentivado, a organização patrocina projetos de interesse, agrega valor à marca e nem sempre precisa investir recursos do caixa”, finaliza.


Doações corporativas

Quando uma empresa escolhe um projeto ou uma organização social que possua os valores alinhados aos seus e opta por investir nesses projetos, temos a doação entrando em ação. “Ela faz uma transferência gratuita de bens, serviços, imóveis, itens ou mesmo recursos financeiros, mas sem um retorno expressivo para a marca como se dá no patrocínio”, conclui Simone Nunes.


Voluntariado

Sua empresa pode criar uma parceria de sucesso com uma organização social e realizar ações que, internamente, vão mobilizar e sensibilizar os seus colaboradores para que eles se envolvam e pratiquem o voluntariado. Para Simone Nunes, esse tipo de ação, quando bem aplicada, potencializa o número de possíveis voluntários. “A empresa atua como grande agente captador de recursos humanos, além de figurar como importante ação de investimento social privado, ainda mais quando a organização não dispõe de outros recursos expressivos de apoio”, encerra.


Como apoiar usando as leis de incentivo fiscal

O governo destina parte dos impostos, que recebe de pessoas físicas ou empresas, para diversos projetos, porém, nem todas as organizações estão aptas a realizar a chamada renúncia fiscal. Simone orienta que o potencial de incentivo “está atrelado à condição tributária da empresa – somente empresas de LUCRO PRESUMIDO e de LUCRO REAL estão aptas a incentivar”.


Decidir de forma adequada a melhor maneira de apoiar é um momento crucial para as empresas e, de acordo com a especialista, “deve levar em consideração variáveis internas, como tipos e quantidade de recursos disponíveis, situação fiscal, nível de envolvimento com a comunidade, entre outros, e variáveis externas, como crises financeiras, desastres ambientais e pandemias, por exemplo”. Por isso, é tão importante contar com um auxílio especializado. “Fica mais fácil definir quais são as leis que podem ser acessadas e ainda indicar os caminhos que devem ser seguidos, com segurança e assertividade”, enfatiza.


A Sauí existe justamente para conectar seus objetivos com os melhores projetos. Acesse para saber mais: www.saui.com.br

Escreva um comentário